segunda-feira, 30 de julho de 2012

Maranhão tem a maior frota de motos do país, aponta relatório.

Em relatório de frota divulgado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o Maranhão aparece como o Estado brasileiro que possui o maior percentual proporcional de motos em circulação em relação a proporção do país.
A frota total de veículos no Estado chega a mais de 1 milhão de veículos entre automóveis, caminhões, caminhonetes, ônibus, micro-ônibus. Destes, são 504.335 motos contra 293.175 automóveis de outros tipos em circulação.Segundo os dados do Denatran, a proporção nacional de motos para a frota de veículos é 22,25%, mas, no Maranhão, essa proporção chega a 49,57%.
Pelos dados, pode-se afirmar que, para cada 10 veículos nas ruas no Estado, existem 5 motos em circulação. Ainda de acordo com os dados do Denatran, o Maranhão foi o Estado que mais cresceu a frota de motos (63,9%) de 2009 a maio de 2012, em comparação com os Estados do Nordeste e em comparação com a frota nacional (motos 30,3%).
Interior do Estado
Imperatriz tem a maior frota de motocicletas do interior do Maranhão. São 40 mil em circulação e 27 mil carros. Caxias possui 22 mil motos, Timon 17 mil; em Balsas, 16 mil; Bacabal, 15 mil e em Codó, 13 mil, seguem essa lista das maiores frotas de motos do Maranhão.
Frota e acidentes
Dados do Ministério da Saúde revelam crescimento no número de internações provocadas por acidentes envolvendo motociclistas no Maranhão. Entre 2008 e 2011, este número passou de 577 para 1193 por ano. E o custo destas internações pagas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) também aumentou de R$ 500 mil para R$ 650 mil. A quantidade de mortes também subiu 30%.

Operadora VIVO muda as regras de se fazer ligacoes na região (99) sem avisar os usuários!


Só no Brasil mesmo, depois que a ANATEL puniu as operadoras OI, TIM, E CLARO, a operadora VIVO resolveu dar um tremendo prejuízo aos usurários da região (099), que inclui toda região sudoeste do  do estado do  Maranhão, e muda as regras sem avisar os usuários.
Agora para fazer se  ligações dentro desta região mesmo em ligacões locais, o usuário terá que discar o (15) código da operadora VIVO, mas o (99) seguido do numero desejado. Isso é o  que deve se chamar de falta de respeito para com o usuário! A VIVO tinha no mínimo que avisar com antecedência essa mudança. 

quinta-feira, 26 de julho de 2012

TJ-MA julga inconstitucional resolução que regulamentava criação de municípios.

SÃO LUÍS - O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) julgou procedente a ação direta de inconstitucionalidade (ADI) ajuizada pela seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MA) contra a Resolução n.º 618/2011 da Assembleia Legislativa, que regulamentava a criação de novos municípios. Nesta quarta-feira (25), a Corte declarou, por maioria de votos, que a norma é inconstitucional.
O resultado final apontou 14 votos pela inconstitucionalidade, entendimento iniciado pelo desembargador Bernardo Rodrigues, relator da ação. Outros 11 desembargadores votaram pelo não conhecimento – que equivale a não receber a ação – e houve um voto pela inconstitucionalidade apenas em parte da resolução.
Autor do único voto pela procedência parcial, Joaquim Figueiredo pediu, em sessão anterior, que o plenário fosse consultado se o quórum de votação deveria levar em conta o número de membros do TJ-MA à época do início do julgamento ou o atual.
Também por maioria, foram considerados válidos os votos dos desembargadores Vicente de Paula Castro e Kleber Carvalho, que ingressaram no Tribunal depois do início do julgamento. Um dos defensores da inclusão, o desembargador Bayma Araújo disse que os dois são membros da Corte e tomaram conhecimento da matéria. Lembrou que, ainda que não fossem computados os votos de ambos, a decisão pela inconstitucionalidade seria vencedora. Votaram de acordo com o relator Bernardo Rodrigues, pela inconstitucionalidade da resolução da Assembleia, os desembargadores Bayma Araújo, Lourival Serejo, Raimundo Nonato de Souza, Jaime Araújo, Stélio Muniz, Jamil Gedeon, Raimundo Melo, José Luiz Almeida, Vicente de Paula, Kleber Carvalho, Paulo Velten, Anildes Cruz e Maria das Graças Duarte.
A primeira divergência, segundo a qual o assunto não deveria ser objeto de ADI, foi iniciada pela desembargadora Cleonice Freire e seguida pelos desembargadores Jorge Rachid, Nelma Sarney, Raimundo Freire Cutrim, Maria dos Remédios Buna, Raimunda Bezerra, Froz Sobrinho, Marcelo Carvalho Silva, Guerreiro Júnior, Benedito Belo e Cleones Cunha.
Lei
A OAB-MA considerou inconstitucional a resolução da Assembleia Legislativa porque a Constituição Federal determina a exigência de edição de lei complementar federal para estabelecer prazos para a criação de municípios, norma ainda não criada pelo Congresso Nacional, apesar de o Supremo Tribunal Federal (STF) já ter fixado prazo. O procurador da Assembleia Legislativa, Djalma Brito, sustentou que a resolução estabeleceu prazos somente no âmbito da própria Assembleia. Segundo ele, em momento algum o ato do Legislativo determinou prazo para criação de municípios.
O entendimento da Procuradoria Geral de Justiça, em parecer assinado pelo procurador Eduardo Nicolau, foi de que a Assembleia Legislativa carece de competência para regular a matéria e, mesmo que tivesse, jamais poderia fazê-lo por meio de resolução.
Com informações da TJ-MA

Promotoria avalia escolas municipais após reformas.


SÃO LUÍS - Em reunião na manhã de ontem, realizada na Procuradoria Geral de Justiça, o promotor de Justiça Paulo Avelar, titular da Promotoria Especializada na Defesa da Educação de São Luís, solicitou aos diretores de escolas municipais que entreguem até sexta-feira, dia 27, o questionário com informações sobre as condições de infraestrutura de cada unidade de ensino após a reforma feita este ano.
Inicialmente, o prazo estabelecido era 15 de junho, mas até agora, de 220 escolas municipais somente cerca de 50 responderam o questionário.
Paulo Avelar frisou que a iniciativa tem o objetivo de continuar o trabalho de inspeção das escolas desenvolvido pela Promotoria de Educação desde 2010 e que produziu dois relatórios, lançados em 2011: um sobre as escolas municipais e outro sobre as escolas estaduais da capital. Ele afirmou também que o questionário busca verificar se os recursos públicos estão sendo corretamente aplicados. “Os recursos são nossos, não podem sair pelo ralo. Têm que ser aplicados efetivamente”, ponderou.
O Ministério Público vai apurar se as reformas anunciadas pela Prefeitura foram realizadas e se as modificações atendem às necessidades dos estabelecimentos de ensino.
No questionário, os gestores deverão informar sobre diversos itens que vão desde a pintura dos prédios até a questão da segurança, da limpeza, das instalações hidráulicas e elétricas, do retelhamento, entre outros.
Com base das informações obtidas, a Promotoria de Educação fará nova inspeção em algumas escolas e, se for o caso, instaurar procedimento para cobrar providências da Prefeitura.
Histórico do caso
Em novembro de 2011, o MPMA solicitou à Secretaria Municipal de Educação (Semed) esclarecimentos sobre a reforma, ampliação e construção de prédios escolares e concedeu novo prazo para o envio de cronograma detalhado sobre as reformas. Em janeiro de 2012, a Semed anunciou o adiamento do início das aulas de 30 de janeiro para 15 de março, sob o argumento de que precisava de mais tempo para concluir a reforma em 220 escolas da rede municipal. Em seguida, a Prefeitura de São Luís fixou para o dia 15 de maio o início das aulas. Entretanto, mais uma vez, o prazo foi descumprido.
A pedido do Ministério Público, o Poder Judiciário determinou ao Município de São Luís, no dia 18 de junho, o retorno às aulas de 25.140 estudantes que estavam fora da escola. A decisão liminar da 1ª Vara da Infância e Juventude determinava a conclusão das reformas das escolas públicas municipais no prazo máximo de 60 dias e impõs multa diária de R$ 1 mil por aluno fora da escola após esse prazo.

Municípios têm até dia 2 para apresentar planos de resíduos sólidos.

Política de resíduos prevê fechamento de "lixões" a céu aberto até 2014. Foto: Arquivo/Douglas Jr./O Estado.
SÃO LUÍS – Encerra-se, no próximo dia 2 de agosto, o prazo de dois anos para que Estados e municípios apresentem, ao governo federal, planos de ações e serviços de saneamento básico a serem adotado em cumprimento à "Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos" (Lei nº 12.305/10). Como consequência à não elaboração do plano, Estados e municípios não receberá transferências voluntárias da União.
A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) tem como objetivo organizar o tratamento do lixo e prevê, além da elaboração de planos de resíduos sólidos nos Estados e municípios, o fechamento de "lixões" a céu aberto até 2014. No lugar dos "lixões", deverão ser criados aterros controlados ou aterros sanitários, que contam com o preparo no solo para evitar a contaminação de lençol freático e captam o chorume – líquido originado de processos biológicos, químicos e físicos da decomposição dos resíduos orgânicos – e contam, ainda, com a queima do metano – gás originado, também, pela decomposição de resíduos orgânicos – para a produção de energia elétrica. Apenas rejeitos – como é conhecida a parte do lixo que não pode ser reciclado, ou seja, apenas 10% dos resíduos sólidos – poderão ser encaminhados aos aterros sanitários.
De acordo com o cientista ambiental e doutor em Saneamento Ambiental, professor Lúcio Macêdo, grande parte das cidades ainda não está preparada para apresentar os planos de resíduos sólidos. Seis já contam com um plano, sendo que, dessas, apenas cinco cidades irão apresentar planos adequados ao que a lei determina. "Foi uma grande oportunidade perdida pelo Estado de difundir a prática que é tão necessária, uma vez que os resíduos, hoje, representam um problema seriíssimo para todas as comunidades, principalmente as sedes municipais, a exemplo do que acontece em São Luís", disse em entrevista ao Imirante na manhã desta quinta-feira (26).
O assunto está em discussão no "Seminário de Sensibilização e Capacitação sobre Política Nacional de Saneamento Básico", promovido pelo Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Regional dos Lagos Maranhenses (Conlagos) e que ocorre no auditório da sede da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), em São Luís.

Limpeza pública
O cientista ambiental explica que resíduos sólidos são todos os rejeitos produzidos pela população, caracterizados como resíduos domiciliares; e, ainda, produzidos por indústrias (tóxicos), hospitais (patogênicos, ou seja, que podem provocar doenças), agricultura (também, tóxicos). A PNRS trata do descarte adequado dos resíduos domiciliares, que representam a maior parcela do lixo produzido pela sociedade. Em média, cada indivíduo produz 700 gramas de resíduos por dia.
Para especialista, infraestrutura no tratamento de lixo deve ser apropriada. Foto: Arquivo/Flora Dolores/O Estado.
O descarte adequado dos resíduos sólidos começa com o acondicionamento. A legislação brasileira tem estimulado a coleta seletiva dos resíduos, mas, segundo Lúcio Macêdo, é necessária toda uma infraestrutura apropriada para isso. "Nós necessitamos não só de veículos apropriados, mas, também, de condições de tráfego, inclusive de condições de pavimento, de estradas. Tem que se ter uma solução com relação à distância de transporte", diz. A nova PNRS estabelece que haja, no máximo, 30 km entre a origem de produção de resíduos sólidos e o destino, ou seja, o aterro sanitário.
Um exemplo atual, citado pelo cientista, da incapacidade operacional no descarte adequado dos resíduos em São Luís é o da construção civil. O maior problema é a sensibilização das construtoras para o encaminhamento dos resíduos para a estação de tratamento que funciona no Parque Vitória.
O custo da limpeza pública chega a R$ 230 por pessoa em alguns municípios maranhenses, ou seja, algumas prefeituras chegam a comprometer, aproximadamente, 40% de suas receitas com limpeza pública. O objetivo do plano é, também, otimizar e reduzir esse custo para até R$ 30.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Proposta aumenta reajuste mínimo para professores.

BRASÍLIA - O governo ofereceu na noite de ontem (24) uma nova proposta de reajuste nos salários dos professores federais para acabar com a greve da categoria, que já dura quase dois meses e atinge 57 das 59 universidades federais. Representantes dos docentes passaram a tarde reunidos com o governo e ainda deverão consultar as bases para decidir se põem fim à paralisação.
Pela nova proposta, anunciada pela Federação dos Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), o reajuste mínimo passaria de 12% para 25%; o máximo, para professores com titulação maior e em dedicação exclusiva, permaneceria em 40%, além dos 4% já concedidos pelo governo numa medida provisória.
O aumento seria dado já a partir de março de 2013, e não mais no segundo semestre do ano que vem. O custo total, para os próximos três anos, seria de R$ 4,2 bilhões, em vez de R$ 3,9 bilhões, como previsto na proposta anterior, rejeitada pelos professores.
Os novos índices foram anunciados no intervalo de uma reunião de representantes dos professores com a Secretaria de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento e a Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação.
De acordo com o presidente da Proifes, Eduardo Rolim de Oliveira, a proposta agradou boa parte da categoria, mas ela ainda deverá ser votada e aprovada pelas assembleias-gerais das universidades federais para ser aceita e a greve acabar.
Oliveira afirmou que o conselho do Proifes analisará a proposta e levará uma indicação para as bases, que deverão fazer assembleias-gerais. A resposta ao governo, disse, deverá ser dada até a próxima semana. "Isso vai depender da avaliação que primeiro nosso conselho fará e obviamente nós faremos uma indicação as bases", explicou o sindicalista.
Para Eduardo Oliveira, todas as categorias de professores do ensino superior serão contempladas. "O governo atendeu integralmente o nosso pleito de que ninguém receba menos de 25% de aumento", disse.

Novos salários
Pela nova proposta, o salário inicial, por exemplo, de um professor com doutorado e de dedicação exclusiva passará nos próximos 3 anos dos atuais R$ 7.627,02 para R$ 8.639,50. Já o salário inidicial dos professores iniciantes com mestrado e dedicação de 40 horas saltará de R$ 3.137,18 para R$ 3.799,70. A remuneração do professor titular com dedicação exclusiva – aqueles que estão no topo da carreira – passará de R$ 11,8 mil para R$ 17,1 mil.
O governo propôs também diminuir a quantidade de níveis da carreira de professor universitário, de 17 para 13, alegando que assim facilitaria a progressão dentro da profissão.
No último dia 13 de julho, o governo apresentou proposta de reajuste de 12% a 40% (mais 4% já aprovados em medida provisória), a serem recebidos nos meses de junho de 2013, 2014 e 2015, que foi rejeitada pelos grevistas. A proposta de hoje, além de elevar o piso para 25%, antecipa os pagamentos para os meses de março.
O incremento significará impacto de R$ 4,2 bilhões no orçamento do governo, 7,7% maior que o previsto na proposta inicial. O reajuste soma-se ao aumento de 4% concedido pelo governo por meio de medida provisória retroativo a março, ao longo dos próximos anos.
A greve foi iniciada em 17 de maio e hoje atinge todas as instituições, com exceção da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e da Universidade Federal de Itajubá (Unifei).

Ex-policiais são condenados a mais de 20 anos de prisão por assassinato.

Imperatriz - Os ex-policiais militares Smailly Araújo Carvalho da Silva e Antônio Ribeiro Abreu, julgados nessa terça-feira 24/07, pelo sequestro, morte e ocultação do cadáver do estudante Ivanildo Paiva Barbosa Júnior, foram condenados a mais de 20 anos de prisão cada um. 
O Tribunal do Júri, presidido pela juíza Suely de Oliveira Feitosa, da 2ª Vara Criminal de Imperatriz se estendeu até 0h40 desta quarta-feira 25/07.

De acordo com a decisão , Smailly Araújo Carvalho da Silva foi condenado a 21 anos e seis meses de prisão em regime fechado, além de 30 dias multa. Já Antônio Ribeiro Abreu foi condenado a 22 anos e oito meses de prisão em regime fechado, além dos 30 dias multa.
Foram mais de 17 horas de julgamento, que teve início na manhã desta terça 24/07. Durante todo o dia foram ouvidas 11 testemunhas arroladas no caso e feita acareação entre os acusados e Claudiomar Ferreira dos Santos (já condenado pela participação confessa no crime).
No fim da tarde foram iniciados os debates, com a promotoria do caso, representada pelo promotor de Justiça Joaquim Ribeiro Júnior, e a defesa, com o advogado Eduardo Faustino. O encerramento dos debates ocorreu por volta das 23h, quando teve início a votação dos quesitos pelos jurados e, em seguida, já nesta quarta-feira 25/07, a leitura da sentença.
Entenda o caso - Ivanildo Paiva de Barbosa Júnior desapareceu na madrugada de 13 de setembro de 2008. O estudante, de 19 anos, voltava de uma festa realizada no Parque de Exposições de Imperatriz. 
Após deixar umas amigas em casa, Ivanildo teria sido abordado pelos policiais (fardados e em uma viatura) quando teria sido transportado no porta-malas do carro até a Estrada do Arroz, no município. 
No local, o estudante teria sido espancado e morto com um tiro na nuca disparado por Abreu. O corpo do estudante foi encontrado oito dias depois, enterrado em uma cova rasa.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Sem acordo, greve de professores federais continua.


BRASÍLIA – O impasse entre governo federal e professores de universidades federais continua. Após reunião, a greve, que dura 68 dias, segue sem data para terminar. O secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, reconhece que não houve avanço nas negociações. “Ainda estamos muito longe de um acordo”, admitiu.
Durante quase três horas, representantes da categoria demonstraram ao governo insatisfação com a proposta de reajuste salarial apresentada no dia 13. Segundo a presidenta do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), Marinalva Oliveira, a rejeição foi por unanimidade.
“Temos uma grande divergência com o governo enquanto concepção. O conjunto das entidades rejeitou por unanimidade e o governo avalia que tem avanço na sua proposta. O que eles oferecem desestrutura ainda mais nossa carreira”, disse Marinalva.
A Andes apresentou ao governo documento com 13 itens que desqualifica a proposta de aumento salarial oferecida pelo governo. Segundo o texto, “a proposta foi elaborada sem a definição de conceitos, de critérios e de índices necessários à reorganização e à afirmação de direitos” e ainda classificou como “desestruturação da carreira docente e da malha salarial correspondente”.
Dados do Andes e do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) apontam que a paralisação atinge 57 das 59 universidades federais, além de 34 dos 38 institutos federais de educação tecnológica.
Para o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Amaro Lins, o governo tem trabalhado “arduamente” para a resolução do problema. “Estamos trabalhando arduamente para chegar a um acordo para que possamos retomar atividades, recuperar o tempo de greve e para que nossos alunos não sofram prejuízos ainda maiores que já tiveram”, disse.
Uma nova reunião foi agendada para as 10h desta terça-feira (24). Mendonça se reunirá ainda hoje com os ministros do Planejamento, Miriam Belchior, e da Educação, Aloizio Mercadante, para apresentar as reivindicações dos professores universitários federais.

Abreu e Smailly sentam hoje no banco dos réus.


Após praticamente quatro anos, os acusados de autoria de um dos mais bárbaros crimes da história de Imperatriz, que foi o sequestro, cárcere privado, homicídio e ocultação de cadáver do acadêmico Ivanildo Paiva Barbosa Júnior, vão sentar no banco dos réus.
O Tribunal do Júri, sob a presidência da juíza Suely de Oliveira Feitosa, titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Imperatriz, se reúne hoje, às 8 horas, no Salão de Júri do Fórum Henrique de La Rocque Almeida, para julgar os ex-policiais Smailly Araújo da Silva e Antonio Ribeiro Abreu.
O sequestro de Ivanildo Júnior aconteceu no dia 13 de setembro de 2008 e o corpo foi encontrado oito dias depois, em uma cova rasa num matagal às margens da Estrada do Arroz.
Os acusados do crime, os policiais Smailly Araújo e Antonio Abreu, foram presos depois de comprovado, através de imagens da câmera de segurança de uma empresa de Imperatriz, que eles foram os autores do crime.
Ivanildo Júnior foi abordado por Smailly e Antonio Abreu na Avenida Getúlio Vargas, no Centro, quando estava se dirigindo para casa, localizada no bairro Vila Nova, depois de participar de um show no Parque de Exposições. Depois dessa abordagem, ele desapareceu e foi encontrado sepultado em uma cova rasa na Estrada do Arroz.
Smailly e Abreu foram indiciados por sequestro, cárcere privado, homicídio e ocultação de cadáver. Os dois tiveram a prisão preventiva decretada pela juíza da 2ª Vara Criminal da Comarca de Imperatriz, Suely de Oliveira Feitosa. Por medida de segurança, os policiais foram levados para São Luís, ficando em celas do Comando Geral da PM. Ontem foram trazidos a Imperatriz para o julgamento.
Os dois foram excluídos da Polícia Militar, por ato da governadora Roseana Sarney, logo que foi comprovada a culpabilidade deles.
Desse crime, apenas o segurança Claudionor Ferreira dos Santos, o “Claudinho”, justamente o que teve um envolvimento menor, foi julgado e condenado a 16 anos de reclusão. “Claudinho” foi preso porque sabia do crime, até acompanhou o martírio da vítima, e não comunicou o fato à polícia. Ele, que era amigo do policial Smailly, foi acusado e julgado por coautoria.
Caso de repercussão
O assassinato de Ivanildo Júnior é um dos casos mais chocantes ocorridos em Imperatriz nos últimos anos, tendo ganhado destaque na imprensa nacional.
Conforme os autos do processo, Ivanildo Júnior estava voltando de uma festa na Avenida Beira-Rio na madrugada do dia 13 de setembro de 2008, quando desapareceu. Somente após investigações da Polícia Civil foram descobertas as imagens de duas câmeras de segurança de uma loja e um posto de combustíveis em que Ivanildo aparecia sendo abordado por uma patrulha da PM e colocado no carro policial.
Os militares disseram que teriam liberado o rapaz alguns quilômetros distante do local, mas o achado do cadáver em cova rasa na região da Estrada do Arroz confirmou o crime. Os policiais que haviam feito a abordagem foram presos.
O cantor de pagode Claudionor dos Santos entregou Abreu e Smailly, que foram indiciados por sequestro, homicídio e ocultação de cadáver. Claudionor foi julgado pela acusação de conivência.

Dois dias
O julgamento de Smailly e Abreu pode durar até dois dias ou mais. Um forte esquema foi montado pela Polícia Militar e será aplicado desde as primeiras horas da manhã de hoje para que as pessoas envolvidas no julgamento possam ter toda segurança para trabalhar. O esquema de segurança montado tem por finalidade proteger também os réus.
A acusação estará a cargo do Promotor de Justiça Joaquim Júnior, enquanto que o advogado Eduardo Faustino Lima Sá é o defensor.

TRE define Emissoras Geradoras da Propaganda Eleitoral.



SÃO LUÍS - O Tribunal Regional Eleitoral definiu nesta segunda-feira (23), por meio de sorteio as emissoras que vão gerar a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV. Em São Luís, o horário eleitoral na televisão será gerado pela TV Difusora e no rádio pela Rádio Capital.
O horário eleitoral começa no dia 21 de agosto e vai até o dia 4 de outubro. Os programas dos candidatos a prefeito serão veiculados às segundas, quartas e sextas-feiras e a propaganda para os candidatos a vereador será às terças, quintas e sábados.
De acordo com o sorteio, a ordem de exibição da propaganda eleitoral no rádio e na TV será a seguinte: coligação 'Juntos por São Luís" (Washington Oliveira), coligação "São Luís o Caminho é a Esquerda" (Haroldo Sabóia), coligação "Para fazer muito mais" (João Castelo), PSTU (Marcos Silva), PPS (Eliziane Gama), coligação "Muda São Luís" (Edivaldo Holanda Júnior), PRTB (Edinaldo Neves) e coligação "Construíndo uma nova história (Tadeu Palácio).
O PR abre a série de propagandas para o cargo de vereador. Logo após será a vez do PP, “Pra fazer muito mais 1”, “São Luís, o caminho certo é pela esquerda”, “Mudar para melhor”, “Juntos somos fortes”, PSDC, PPS, PRP, “Juntos por São Luís 1”, PSTU, PC do B, “Por uma São Luís mais segura e sustentável”, PRTB, “Juntos por São Luís 2”, PRB.

Horários da propaganda
Segundo regulamenta a Resolução 23.370 do TSE, a propaganda para os cargos de prefeito e vice-prefeito serão veiculadas das 7h às 7h30 e das 12h às 12h30, no rádio e das 13h às 13h30 e das 20h30 às 21h, na televisão. O mesmo horário vale para os cargos de vereador.
O tempo de cada coligação ainda falta ser definido pelo TRE.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Novas notas de R$ 10 e R$ 20 começam a circular nesta segunda.



SÃO PAULO - Começam a circular, nesta segunda-feira (23), as novas cédulas de R$ 10 e R$ 20, que são da segunda família do real. O Banco Central fará o lançamento das notas, às 15h desta segunda, mas ainda não há informações sobre o tamanho do primeiro lote.
A previsão é que as novas notas de R$ 2 e R$ 5 comecem a circular no ano que vem.
As novas notas têm elementos de segurança mais modernos e fáceis de verificar, segundo o BC. Há novas marcas táteis e cada valor tem um tamanho diferente para facilitar a identificação dos valores das cédulas. As cores das notas e a diferenciação por cores predominantes vão ser mantidas na nova família, de modo a facilitar a "rápida identificação dos valores" por parte da população.
Segundo o BC, a Casa da Moeda modernizou o parque fabril para produzir as novas cédulas com recursos gráficos e novos elementos de segurança. "Com as aquisições, [a Casa da Moeda] se equipara às empresas mais modernas do mundo no ramo da impressão de segurança", disse o BC.
A intenção era substituir as atuais notas de R$ 10 e R$ 20 em 2011 e as de R$ 2 e R$ 5 neste ano, mas houve a necessidade de fazer ajustes técnicos para a fabricação, o que atrasou o início da circulação, segundo o BC.
Os novos modelos foram lançados em 2010 e, na cerimônia de lançamento, o BC informou que a nova família de cédulas vem sendo desenvolvida desde 2003, em conjunto com a Casa da Moeda.

Brasil terá 45 cidades onde só mulheres disputam a prefeitura


BRASÍLIA - De acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), dentre os 5.565 municípios do Brasil, existem 45 cidades onde só há mulheres na disputa pela prefeitura nas eleições de outubro.
Segundo o TSE, ao todo são 15.304 candidatos a prefeito inscritos. Destes, 1.907 são mulheres (ou 12,5 % do total).
Nas últimas eleições municipais, em 2008, havia 1.641 mulheres candidatas a prefeituras, dentre 15.903 candidatos (ou 10,3% do total).
No Estado de São Paulo, são cinco municípios onde só haverá mulheres na disputa pela prefeitura. O Estado que possui mais municípios sem homens concorrendo à prefeitura é o Rio Grande do Norte, com oito cidades.
Depois de São Paulo, na segunda posição, aparecem Minas Gerais e Paraíba, com quatro cidades cada.
Em São Luís, existe apenas uma candidata disputando o cargo de prefeita. Trata-se da deputada estadual pelo Patido Progressista Social (PPS), Eliziane Gama.